Bbb covid

COVID-19 Resources | LouisvilleKY.gov

O papel do BBB na pandemia de COVID-19

1: O BBB e o início da pandemia

O Big Brother Brasil, conhecido popularmente como BBB, é um reality show de televisão brasileiro que foi ao ar pela primeira vez em 2002. Em 2020, durante a pandemia de COVID-19, o BBB foi ao ar pela 20ª edição. No entanto, o início da pandemia colocou em questão se o programa deveria ou não ser exibido, já que muitas pessoas argumentavam que o BBB promovia aglomerações e poderia contribuir para a disseminação do vírus.

2: Medidas de segurança adotadas pelo BBB

Apesar das preocupações, o BBB foi exibido e foram adotadas algumas medidas de segurança para minimizar o risco de contágio. Algumas dessas medidas incluíram a realização de testes de COVID-19 para os participantes e a equipe antes do início da gravação, o distanciamento social entre os participantes e a equipe, o uso obrigatório de máscaras e o aumento da frequência de limpeza e higienização da casa.

3: Reação do público ao BBB durante a pandemia

A decisão de exibir o BBB durante a pandemia gerou uma série de reações entre o público. Enquanto alguns argumentavam que o BBB era uma forma de distração e entretenimento necessários durante tempos tão difíceis, outros alegavam que o programa promovia o desrespeito às medidas de segurança e poderia contribuir para a disseminação do vírus.

4: Participação de influenciadores digitais no BBB

Além de participantes comuns, a edição de 2020 do BBB também contou com a participação de influenciadores digitais, ou seja, pessoas que têm uma grande base de seguidores nas redes sociais e geralmente usam essa plataforma para promover produtos ou marcas. A participação desses influenciadores gerou ainda mais controvérsia, já que muitos alegavam que eles eram privilegiados e não sofriam as mesmas restrições impostas ao resto da população durante a pandemia.

5: Consequências da participação do BBB na pandemia

É difícil avaliar exat

Frontiers | Microglia Fighting for Neurological and Mental Health: On the  Central Nervous System Frontline of COVID-19 Pandemic

Frontiers