Tratado de oslo 1993

Acuerdos de Oslo: una paz utópica entre palestinos e israelíes, 25 años  después | Internacional

O Tratado de Oslo de 1993 foi um acordo assinado entre Israel e a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) para pôr fim a décadas de conflito entre os dois lados. O tratado foi assinado em 13 de setembro de 1993 em Oslo, na Noruega, pelo então primeiro-ministro israelense Yitzhak Rabin e pelo líder da OLP, Yasser Arafat.

O Tratado de Oslo consistia em dois documentos: o Protocolo de Acordo de Oslo I e o Protocolo de Acordo de Oslo II. O Protocolo de Acordo de Oslo I estabelecia uma divisão temporária da Cisjordânia em três áreas: Área A, Área B e Área C. A Área A seria controlada pelo governo da Autoridade Nacional Palestina (ANP), a Área B seria controlada pela ANP e Israel, e a Área C seria controlada exclusivamente por Israel. O Protocolo de Acordo de Oslo II estabelecia a criação de uma Autoridade Nacional Palestina para administrar a Área A e a Área B, bem como a criação de um Conselho Legislativo Palestiniano para governar a Área A.

O Tratado de Oslo também estabelecia um processo de negociação de paz entre Israel e a OLP, incluindo a criação de um Comitê de Assuntos Básicos para tratar de questões como a soberania, fronteiras, colonatos e direitos humanos. O tratado também previa a criação de um Conselho de Segurança Palestiniano para garantir a segurança na Área A e na Área B.

O Tratado de Oslo foi amplamente visto como um passo importante para a paz entre Israel e os palestinos, mas também foi muito controverso. Alguns críticos argumentam que o tratado favoreceu Israel em detrimento dos palestinos, enquanto outros argumentam que o tratado não foi cumprido pelos dois lados. Além disso, o tratado não abordou algumas das questões mais polêmicas do conflito, como o status de Jerusalém ou o retorno dos refugiados palestinos.

Apesar das críticas, o Tratado de Oslo foi um marco importante na busca pela paz entre Israel e os palestinos e continua a ser um ponto de referência para os esforços de paz na região até hoje. No entanto, infelizmente, o conflito entre Israel e os palestinos ainda continua até hoje, e muitos desafios ainda precisam ser enfrentados para alcançar uma paz duradoura e just

Hora de rasgar os acordos de Oslo – Monitor do Oriente

Monitor do Oriente