Lei do açucar 1764

Lei do Chá - Wikiwand

A Lei do Açúcar, também conhecida como Lei das Derramas, foi uma medida adotada pelo governo português em 1764 com o objetivo de controlar e regular a produção de açúcar nas colônias portuguesas da América do Sul.

O açúcar era um produto altamente valorizado no mercado europeu da época e a produção nas colônias portuguesas representava uma importante fonte de renda para o país. No entanto, a produção de açúcar também era responsável pelo trabalho escravo e pela exploração de mão de obra indígena, o que gerava uma série de problemas sociais e éticos.

Para tentar resolver esses problemas, o governo português decidiu criar a Lei do Açúcar, que estabelecia regras e regulamentos para a produção de açúcar nas colônias. A lei estabelecia, por exemplo, que somente os produtores de açúcar que possuíssem uma licença especial emitida pelo governo poderiam produzir o produto. Além disso, a lei também estabelecia taxas e impostos sobre a produção de açúcar, com o objetivo de controlar a oferta e garantir um preço justo para os produtores.

A Lei do Açúcar foi um marco importante na história das colônias portuguesas na América do Sul, pois ajudou a regular a produção de açúcar e a combater a exploração de mão de obra. No entanto, a lei também foi criticada por muitos historiadores, pois ela também contribuiu para o aumento da escravidão e da exploração de mão de obra indígena.

Em resumo, a Lei do Açúcar foi uma medida adotada pelo governo português em 1764 com o objetivo de regular e controlar a produção de açúcar nas colônias portuguesas na América do Sul. A lei estabelecia regras e impostos para a produção de açúcar e foi um marco importante na história das colônias, mas também foi criticada por contribuir para a exploração de mão de obra.

A Lei do Açúcar (1764), a Lei do Selo (1765) e a Lei Townshend (1767)  representaram, quando implementadas, - PDF Download grátis

DocPlayer.com.br